Lavagem nasal: como uso a seringa?

Olá pessoal! Voltei com o tema lavagem nasal! Tanto no Facebook quanto no Instagram muitos tem me questionado sobre a melhor forma de realizar a lavagem nasal. Na verdade existem diversas maneiras de lavar o nariz, com diversos tipos de dispositivos para lavagem e volumes diferentes. Todos eles tem as suas vantagens e desvantagens.

 

Vou tentar falar um pouco de cada um deles e espero que ajude a elucidar algumas dúvidas:

 

Seringa (1, 3, 5, 10 e 20 ml)

 

 

Lavar as fossas nasais com seringas comuns e soro fisiológico talvez seja a maneira mais barata, mas tem seus inconvenientes. As seringas são fáceis de achar em qualquer farmácia e podem ser transportadas sem grande esforço. Mas uma vez abertas devemos tomar cuidado com possíveis contaminações.

Recomendo que lave bem a seringa com detergente e água, ou fervê-la caso você pretenda utilizar por alguns dias (nunca reutilize a seringa por mais de 05 dias).

 

Quando for lavar o nariz do seu xuxuzinho, especialmente os mais agitados, você deve ter cuidado redobrado com o bico da seringa! Existem basicamente dois tipos de seringas: primeira imagem com um bico longo e a segunda imagem com o bico em rosca. Nos pequenos mais rebeldes a ponta longa pode esbarrar contra o septo nasal e causar dor, o que irá assustar e dificultar a aceitação da lavagem. As de ponta em rosca costumam causar menor desconforto.

 

Uma dica legal é utilizar uma oliva de estetoscópio (terceira imagem) encaixada na ponta da seringa de bico longo. Elas costumam ser vendidas aos pares em qualquer loja de material médico ou hospitalar.

 

Mas e como fazer a lavagem?

 

A ideia é utilizar a força da passagem do soro para ajudar a remover  a secreção dentro da cavidade nasal. A lavagem não deve ser vigorosa a ponta de causar dor ou desconforto no pequenino, mas também não deve se limitar a um simples gotejamento. A cabeça deve estar inclinada para frente, se possível peça para o pequeno samurai ficar com a boquinha aberta, daí você introduz a seringa em uma narina e de modo constante injeta o soro na cavidade nasal.

O soro pode refluir pela mesma narina, quando a criança está mais congesta ou tem uma adenoide muito grande; pode retornar pela outra narina ou mesmo escorrer um pouco para a garganta.

 

Vou deixar um link de uma fofuxa lavando o nariz com seringa!

 

 

Quanto de soro deve ser usado depende muito do tamanho da criança, da quantidade de secreção que ela apresenta, da tolerância da criança ao procedimento e tudo isso deve ser conversado com o seu otorrino para que ele possa te ajudar na escolha. Lembre-se que cada criança é única e nenhuma dica substitui as orientações do otorrino que a acompanha!

 

Espero que tenham gostado e amanhã tem mais! Amanhã falaremos de outro dispositivo: os jatos contínuos.

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga
  • Instagram Social Icon
  • Facebook Basic Square

© 2015 por Dr. Deusdedit Brandão Neto.